Agitadores para Laboratórios

A micropipeta de volume variável é um acessório essencial de qualquer laboratório, seja de qual área for, Biologia, Química, laboratório farmacêutico, laboratório de pesquisa, Analises Clinicas, etc… Uma micropipeta é usada para medir quantidades muito pequenas de líquido.

Para usar uma micropipeta de volume variável, o usuário deve aprender como alterar corretamente a configuração de volume, escolher qual ponteira de acordo com o volume desejado, definir qual recipiente vai ser usado para fazer a transferência de amostras.

Uma micropipeta pode ter vários volumes, elas podem medir um volume entre 0,1 microlitros e 1000 microlitros, Cada micropipeta só funcionam efetivamente dentro de um determinado intervalo, e cada variação de volume da micropipeta é muito semelhante entre si.

Para evitar confusão, os fabricantes rotulam o êmbolo da micropipeta com o volume máximo que ela pode dispensar com precisão. Alguns também adicionam o volume mínimo e outras podem ser identificadas por cores. Isso pode variar entre os fabricantes.

Vejamos uma micropipeta volume variável P200. Essa micropipeta medirá entre 20 e 200 microlitros, abreviados como μL. A maioria dos tipos de micropipeta terá seu alcance mínimo de 10% de seu alcance máximo. Consulte a tabela abaixo para ver os cinco tipos e intervalos de micropipeta mais comuns.

Tipo de intervalo típico de uso da micropipeta volume variável.

P2 0,1 a 2,0 μL

P10 0,5 a 10,0 μL

P20 2,0 a 20,0 μL

P200 20,0 a 200,0 μL

P1000 100,0 a 1000,0 μL

 

Como ajustar o volume de uma micropipeta variável:

No corpo da micropipeta há uma pequena janela vertical com três números. Esses números são lidos de cima para baixo, informam ao usuário quanto volume a micropipeta está configurada naquele momento. Para alterar o volume, segure o botão ou o êmbolo e gire suavemente. Os números então mudarão. Nem todos os êmbolos ajustam o volume. Algumas micropipetas podem ser de volume fixo.

É importante lembrar o mínimo e os máximos definidos para uma micropipeta. Girar o botão de volume com força em qualquer direção pode danificar a micropipeta.

Mesmo que os números de discagem pareçam idênticos entre os diferentes tamanhos de micropipetas, lembre-se de que eles dispensarão diferentes quantidades de solução. Em um P2, uma leitura de 152 dispensará 1,52 μL de solução e em um P200 uma leitura de 152 dispensará 152 μL. Algumas micropipetas indicarão décimos e centésimos de um microlitro em vermelho no número mais baixo do corpo da pipeta.

Qual tipo de ponteira devo usar na micropipeta?

Se você olhou para vários tamanhos diferentes de micropipetas, deve ter notado que as extremidades da micropipeta não têm o mesmo diâmetro / circunferência. Por causa disso, micropipetas de volume variável  usarão ponteiras de tamanhos diferentes. Existem três ponteiras de volumes  diferentes que podem ter cores diferentes. Ponteiras brancas/incolor se encaixam em micropipetas P2 e P10. As ponteiras amarelas cabem nas micropipetas P20 e P200. Ponteiras azuis se encaixam em micropipetas P100 e P1000.

Para adicionar a ponteira à micropipeta, coloque as ponteiras no rack e pressione com firmeza a extremidade da micropipeta na extremidade larga da ponta. Puxe para cima e ele deve ser anexado. Uma vedação firme entre a ponteira e a micropipeta é importante, caso contrário, a quantidade de solução que você puxará será imprecisa. Se a ponteira cair, jogue fora. Uma ponteira esterilizada é necessária para os experimentos, caso contrário, a contaminação arruinará seu resultado.

 

Como fazer transferência de líquidos.

Segurando o corpo da micropipeta em sua mão, seu polegar deve estar livre para descansar na parte superior da micropipeta, ou seja, o êmbolo. Pressionar e liberar este êmbolo atrai e distribui amostras de líquido.

A quantidade de solução que você deseja obter afetará o quanto você terá que pressionar o êmbolo. Uma amostra maior precisará de uma prensa grande e uma amostra pequena precisará de uma prensa pequena.

Depois de definir a configuração de volume e anexar a ponteira adequada, você está pronto para sugar uma amostra. Usando o polegar, pressione lentamente o êmbolo até sentir alguma resistência. Este ponto é conhecido como primeira parada ou parada suave.

Mantenha o êmbolo para baixo e insira a ponteira na solução líquida. Solte lentamente o êmbolo e remova a ponteira da solução. Liberar o êmbolo rapidamente tornará o volume da amostra incorreto, a ação de aumento lento do êmbolo ajuda a manter a precisão do volume retirado.

 

Como dispensar uma amostra:

Coloque a ponteira da micropipeta no recipiente em que deseja dispensar a solução. Usando o polegar, pressione lentamente o êmbolo até atingir o ponto suave ou a primeiro estagio. Pressione um pouco mais forte até que você não consiga pressionar mais. Isso é conhecido como segundo estagio.

Devido à tensão da água, um pouco da amostra pode permanecer na ponteira da micropipeta. Pressionar até o segundo estagio para empurrar um pouco de ar pela ponteira, forçando o resto da amostra para fora.

Descartando a ponteira

Assim que terminar de dispensar sua solução, você precisará descartar sua ponteira. Há um grande botão na parte superior de sua micropipeta ao lado do êmbolo. Pressione-o e a ponteira deve sair.

Caso contrário, basta agarrar a base da ponta onde o líquido não tocou para puxá-la e jogá-la no lixo. Você deve sempre jogar suas ponteiras em um saco de lixo autolavável ou em uma caixa de descarte. As bactérias residuais nas ponteiras das micropipetas precisam ser destruídas ou podem representar um possível risco biológico para outras pessoas em seu laboratório, ou até mesmo para pessoas fora do laboratório.

Entre em contato e solicite seu orçamento: contato@minaslabor.com.br